Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 18 de Setembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Ganhando competitividade com qualidade e eficiência

, 14 de março de 2017 às 9h15

Em Arroio do Meio, entre as 50 maiores empresas, apenas duas contam com o selo International Organization for Standardization (ISO) e pelo menos outras três estão com processo de certificação em processo em andamento.

Este certificado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) é obrigação para alguns setores, mas também pode ser um diferencial na lucratividade. A adesão a um conjunto de normas de padronização para um determinado serviço ou produto tem como objetivo melhorar a gestão e a qualidade. E pode ser aplicada paralelamente a questões de saúde ocupacional, de meio ambiente e de segurança, entre outros.

Geralmente a necessidade é detectada no planejamento estratégico das empresas e implementada em decorrência de exigências mercadológica às indústrias e prestadores de serviços que atendem companhias que precisam dar garantias de fabricação. Entre as ações e conquistas viabilizadas pela ISO estão eficiência em gestão de qualidade e credibilidade no mercado.

A auditoria é realizada por consultorias credenciadas pelo Inmetro. O custo e a burocracia da execução estão ligados à complexidade e ao tamanho da empresa. Culmina em investimentos organizacionais, recursos humanos e estruturais. A iniciativa nem sempre é compatível com a realidade prática dos empreendimentos.

Na maioria dos casos locais, o credenciamento é inexequível, inviável financeiramente, ou momentaneamente desnecessário. Outro fator relatado é a burocracia para homologação e auditorias constantes, a ponto de virarem padrão de conduta. Pelo que se detecta acaba sendo compensatório apenas para as empresas inseridas em negócios que exigem padronização, garantias e segurança.

SELOS ISO’S 9001, 14001 E 17025

A maior empresa do município, a BRF, realiza o Programa de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (HACCP, na sigla em inglês). A Companhia também possui padrões de certificação BRC, IFS, Global-GAP, AloFree e ISO17025:2005. É auditada externamente por diversos mercados e clientes, além de órgãos competentes brasileiros – Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O monitoramento considera também o ponto de venda.

Já a Serraff, que figura na 10ª colocação entre as maiores empresas, conquistou a ISO 9001 em 2002. No mesmo ano, a empresa aderiu ao uso de um Sistema de Informação e Gestão Integrada (ERP) que, somado a um conjunto de ações, consolidou o trabalho e a credibilidade no mercado. Na época os diretores detectaram e decidiram acompanhar uma tendência do mercado onde estavam inseridos.

Desde então, um sistema rigoroso de auditorias internas e externas atesta que a empresa tem um Sistema de Gestão de Qualidade baseado na padronização, monitoramento, inspeção e revisão sistemática de sua prática, sempre norteada pela busca do aperfeiçoamento contínuo em todos os setores. É, além disso, o reflexo do compromisso e da atenção total que se dedica ao cliente enquanto provedora de soluções em troca térmica.

No segmento em que atua, atendendo a indústria de veículos em geral, baús frigoríficos e refrigeração, a Serraff é uma das duas empresas no RS e uma das cinco no país com o selo. Na visão dos gestores, hoje o mercado não aceita mais indústrias que não invistam em qualidade. Os clientes possuem exigências e ao homologar como seu fornecedor pontuam uma série de quesitos antes de fechar negócios. E a ISO acaba sendo um critério importante elevando o conceito da empresa. A Tintas Nobre possui em andamento desde 2009 o processo de certificação da ISO 14.001, mas já atende aos itens apresentados nas Normas Técnicas vigentes.

Esta Norma é destinada ao gerenciamento das responsabilidades socioambientais de uma forma sistemática, que contribua para o pilar de sustentabilidade. Apenas resta autorização da Fepam à liberação do selo.

Além das empresas mencionadas há pelo menos outras duas com certificação em andamento. Uma atua no setor de refrigeração e a outra no tratamento de água e efluentes.

REALIDADE DA MAIORIA

A maioria das empresas locais tem aderido a outros programas de controle de qualidade e eficiência em gestão, tão ou mais rigorosos quando a ISO, e que tem mais a ver com o mercado no qual estão inseridas, inclusive também habilitadas a exportar e negociar com grandes companhias, e auditados por órgãos nacionais, estaduais e regionais.

É o caso do Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP), Programa 5S, Grupos de Controle da Qualidade, Padronização de Processos, Planejamento Estratégico, Boas Práticas de Fabricação (BPFs), o Programa de Análise de Perigos e Pontos Críticos de Controle (APPCC), Instruções Normativas, CIF e ações de responsabilidade socioambiental.

Saiba mais

A International Organization for Standardization (ISO) é uma organização fundada em 1946 e sediada em Genebra, Suíça. Atualmente, institutos de normalização de 164 países fazem parte dela, inclusive o Brasil, representado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). A ISO trabalha nas mais diversas áreas do conhecimento e já produziu mais de 18 mil normas técnicas utilizadas por milhares de produtos e processos em todo o mundo.

A norma ISO que estabelece critérios para a Gestão de Qualidade é a ISO 9001. O maior beneficiário da existência dessa norma é o cliente, que pode procurar fornecedores de bens e serviços cuja qualidade é assegurada por um regulamento testável e periodicamente avaliado.

Por daiane