Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 28 de Outubro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agricultura

Expointer 2016

12 de agosto de 2016 às 6h00

A 39ª edição da Expointer, caracterizada como uma das mais importantes feiras de animais, de máquinas e implementos agrícolas e agroindústrias da América Latina, ocorrerá neste ano no período de 27 de agosto a 4 de setembro, em Esteio.

O evento se repete anualmente, mas sempre com atrações e inovações que motivam e provocam o aumento constante do público visitante. Há o registro de que em 2015 um total de 545.891 pessoas visitou o Parque Assis Brasil, de Esteio, que tem uma área total de 141 hectares, instalado em 1970, porém a primeira Exposição Internacional naquele local aconteceu em 1972.

O número de países participantes aumenta de ano a ano, vindos de praticamente todos os continentes.

Existe a estimativa de que estarão expostos em torno de 151 raças de animais, de diferentes portes e espécies, representando, com certeza, os avanços e o aprimoramento genético alcançado.

Será igualmente de destaque a participação das agroindústrias familiares nessa edição da exposição. Aproximadamente 160 empreendedores ocuparão espaços que servem de vitrine para a difusão de seus produtos. É um segmento das atividades econômicas em crescente ampliação, sobretudo quando os seus produtos são da categoria de alimentos, atendendo consumidores de todas as classes sociais e faixas de renda.

É previsível que a retração econômica em que o país se encontra, neste momento, fará com que a comercialização de bens, especialmente de máquinas e implementos agrícolas não chegue ao nível registrado, por exemplo, em 2013. Naquele ano, na 36ª edição da Expointer, a comercialização de máquinas chegou próximo dos 3 bilhões de reais.

2016 – um ano difícil…

Tenho feito, ultimamente, diversos comentários sobre as diferentes cadeias produtivas do setor da agropecuária, muito em função de este ano ser diferente, considerando alguns fatores econômicos que envolvem, por exemplo, a avicultura e a suinocultura.

O ex-ministro da Agricultura e atual presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal, Francisco Turra, faz uma análise, dizendo que 2016 vem sendo um “ano trepidante” e o mais difícil dos últimos nove anos. Segundo o experiente líder do agronegócio brasileiro, temos um mercado externo muito bom, mas um significativo recuo no mercado interno.

Turra destaca que a partir de janeiro, os insumos como o milho e o farelo de soja, ingredientes indispensáveis na alimentação animal, tiveram uma alta de 31% e esse percentual não foi possível repassar aos preços dos produtos, não estando o setor produtivo preparado para enfrentar esse aumento nos custos.

Mas alguns números indicam otimismo, segundo o ex-ministro. “Exportamos mais no primeiro semestre, em comparação com o ano anterior, com um crescimento de 12% na carne de frango e na de suínos, 55%. E em termos de produção, também evoluímos: 300 mil toneladas a mais no segmento de aves e 100 mil toneladas no abate de suínos”. Fica, portanto, um alento e o próximo ano já poderá ser melhor para todos.

Por daiane