Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 27 de Novembro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Saúde

Projeto Orelhinha volta ao RS

, 9 de julho de 2016 às 12h00

Retorna a Porto Alegre, no mês de julho, o projeto social Orelhinha, que vai oferecer cirurgias plásticas, a baixo custo, pra corrigir a chamada “orelha de abano”. Será feito um mutirão, no próximo dia 15 de julho, para triagem dos pacientes já cadastrados. A cirurgia custa, em média, R$ 8 mil. O desconto oferecido pelo projeto é de 70% e o restante pode ser parcelado.

O Projeto Orelhinha tem por finalidade viabilizar o acesso dos pacientes à cirurgia corretiva da orelha em abano. Aqueles que se incomodam com essa característica ficam sem opção acessível para o tratamento, tendo em vista que os convênios não autorizam a cobertura, por entenderem que se trata de uma cirurgia estética e o sistema único de saúde (SUS) não tem condições de prestar esse atendimento na proporção da demanda. Somente em Porto Alegre já foram realizadas mais de 900 atendimentos.

“Essa cirurgia não é de caráter puramente estético. A correção da orelha de abano tem reflexo direto na autoestima do paciente, que nos procura porque está insatisfeito com sua aparência e sofrendo com problemas de relacionamento, normalmente causados pelo bullying de que são vítimas desde a infância. Percebemos que, imediatamente após a cirurgia, a vida dessas pessoas muda para melhor”, destaca o fundador do projeto, Marcelo Assis.

Para participar do programa, é preciso fazer um cadastro no site www.projetoorelhinha.com.br. O contato também pode ser feito por meio dos telefones 4062-0607, para capital e regiões metropolitanas ou 0800 718 7804, para as demais localidades.

Sobre o Projeto Orelhinha

O Projeto Orelhinha surgiu durante o período de residência médica do Dr. Marcelo Assis, no Hospital Naval Marcílio Dias, que atendia os oficiais da Marinha do Brasil. Em função da exigência do corte de cabelo bem curto, era grande a procura pela correção de orelha em abano, principalmente nos pacientes mais jovens. Desde então, surgiu a ideia de criar um programa de ação social, com custo reduzido, para viabilizar o acesso a cirurgia de otoplastia para a correção da orelha em abano. Há quatro anos as ações são organizadas através do Instituto Orelhinha, com sede em Campinas -SP, que, através de parcerias, consegue conceder gratuidade de 70% aos interessados no procedimento. Sem visão de lucro, o projeto destina a quantia arrecadada apenas para cobrir custos com material e anestésicos utilizados durante os procedimentos cirúrgicos.

As cirurgias para a correção da orelha em abano são consideradas ambulatoriais, ou seja, o paciente recebe sedação e anestesia local, é operado e quando acorda, já recebe alta. Não precisa ficar internado. O procedimento é simples, rápido (a cirurgia dura 40 a 60 minutos), com pouco risco e com recuperação tranquila.

Por daiane