Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 18 de Julho de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Polícia

Furtos em série: polícia já tem pistas dos suspeitos

, 9 de julho de 2016 às 9h30

Arroio do Meio – A sequência de furtos desencadeada entre a madrugada de sábado e quarta-feira, deixou os comerciantes da cidade perplexos. Foram pelo menos quatro arrombamentos e uma tentativa.

O primeiro local ‘visitado’ pelos ladrões no sábado (02), foi um restaurante situado no subsolo de uma loja, localizada em frente a Secretaria Municipal da Educação e Cultura. Eles violaram o miolo da fechadura da porta do estabelecimento e levaram R$ 2 mil do caixa, seis pacotes de cigarros de diversas marcas, quatro caixas de chiclete e balas.

Já na madrugada de segunda-feira (04), o alvo foi uma loja de roupas localizada ao lado do jornal O Alto Taquari. Por volta das 1h40min os bandidos quebraram a porta de vidro com uma laje, levaram R$ 480 em espécie, oito calças masculinas da marca Ibsen, seis calças masculinas da marca Lupp e sete calças de marcas diversas. Com o arremesso da laje, ainda ficou quebrado um espelho, e atingido um notebook que caiu no chão e quebrou. A Brigada Militar foi acionada pelos proprietários do estabelecimento e chegou a localizar cabides no acesso a Área de Lazer Pérola do Vale, mas não encontrou os suspeitos.

Por volta das 1h30min de quarta-feira (06), as câmeras de vigilância de uma loja em frente à agência bancária do Sicredi, flagraram dois indivíduos arremessando um artefato contra a porta de vidro do estabelecimento. Eles fugiram porque o objeto acabou se despedaçando, não gerando danos ao vidro.

Ainda na quarta-feira de madrugada, os bandidos quebraram a porta de vidro de uma loja de calçados situada em frente ao STR. Foram levadas 15 peças de roupas, na maioria, casacos da marca Adidas. As filmagens da vigilância eletrônica mostram um dos indivíduos se cortando, enquanto quebrava o restante do vidro.

E às 1h40min também de quarta-feira, a mesma ação foi desencadeada em um supermercado situado na ERS-130. De acordo com as filmagens, após quebrarem a porta de vidro, chegaram a vasculhar os caixas do supermercado, mas possivelmente foram afugentados pelo vigilante.

O delegado, João Alberto Selig, já tem pistas dos suspeitos. Não há ligação com a quadrilha presa em Santa Clara do Sul e nem com os responsáveis pelos assaltos realizados numa petiscaria e no complexo comercial de um posto de combustíveis em São Caetano.

Segundo Selig, um dos suspeitos é morador da cidade, mas é considerado novato na prática de crimes. Em tese, ele estaria agindo em parceria com um conhecido de fora. “Geralmente o valor do material furtado é inferior ao prejuízo dos danos causados à estrutura dos estabelecimentos. Eles vendem as mercadorias para amigos, trocam por drogas, ou presenteiam prostitutas.”, repercute.

Por daiane