Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 10 de Agosto de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Falta de placas gera dificuldades logísticas

, 3 de julho de 2016 às 10h00

Arroio do Meio – A inexistência de placas de sinalização de ruas em novos loteamentos e até em estradas gerais entre localidades, tem gerado transtorno na entrega de correspondências, mercadorias e na simples locomoção de profissionais da logística.

No interior, que possui diversas ramificações vicinais que ligam o município a Encantado, Capitão, Travesseiro e Pouso Novo, ainda há muitos transportadores que se perdem, por causa da falta de placas de localização, orientação e de divisas.

No caso de cargas pesadas (insumos e produção), a boa trafegabilidade por essas vias é essencial para eficiência. “Imagina estar perdido com um caminhão carregado. Hoje em dia, com a insegurança, as pessoas não abrem mais a porta de casa para dar informações”, reflete o vereador Romano Kunzler.

Segundo ele, a melhor sinalização, além de melhorar a localização aos profissionais, também agrega valor turístico às pessoas que vem de fora visitar o interior. Kunzler cita ainda que a entrega de correspondências é afetada na localidade, pois desde Bela Vista até Capitão, a estrada recebe a mesma dominação. Mensalmente mais de 20 cartas são encaminhadas ao distrito por problemas de endereço, entre cobranças, promissórias e boletos. “Há cartas de moradores da parte urbana de Bela Vista que são entregues aqui na subprefeitura”, revela.

Mas reconhece que boa parte dos transtornos serão resolvidos após a existência da ERS-482. “Caberá apenas aos moradores atualizarem seus endereços de acordo com as delimitações entre as comunidades, estas sim, precisam estar mais claras”, recomenda.

De acordo com o gerente da unidade municipal dos Correios, Flávio Benvegnu, das 3,5 mil correspondências entregues diariamente, 150 acabam retornando e após 20 dias, são devolvidas aos remetentes. “Estimamos que mais de 30% retornam por deficiência ou inexistência de sinalização”, revela. Segundo ele, também ocorrem transtornos às localidades de Picada Arroio do Meio, Linha 32, Forqueta Baixa, Rui Barbosa, Palmas, Passo do Corvo e São Caetano, mas principalmente nos loteamentos novos.

Entretanto, acredita que a maioria dos problemas estão ligados a falta de atualização dos endereços após mudanças, ou até mesmo, erros por parte de moradores. “Muitos confundem seu endereço exato com o que está descrito na conta de luz, que meramente é uma maneira das companhias de energia se organizarem. Sempre que identificamos irregularidades, procuramos orientar os cidadãos”, revela.

Recentemente vereadores de oposição e situação criticaram a demora do poder Executivo em confeccionar e instalar novas placas, de acordo com as denominações estabelecidas em lei legislativa.

Por daiane