Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 11 de Julho de 2020

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Saúde

Reeducando a maneira de se alimentar com a chegada do inverno

, 18 de março de 2016 às 10h56

O verão se despede discretamente e o outono e o inverno vêm batendo à porta sorrateiramente. Junto vem a vontade de comer alimentos mais saborosos em quantidades maiores e consequentemente mais calóricos.

Porém, nada disso impede que se possa iniciar uma verdadeira e duradoura reeducação alimentar nessa época do ano, pelo contrário, é a melhor época para isso! E sabe por quê? É no inverno que o nosso corpo gasta mais energia para equilibrar a temperatura corporal. O frio que sentimos acelera a queima de gordura que será utilizada como combustível para nos aquecer.

Segundo a nutricionista Elisabete Bald, com a diminuição da temperatura, nosso corpo utiliza a gordura corporal para manter a nossa temperatura equilibrada e neste caso ele gasta muito mais energia para esta função. “O único problema é que para repor essa energia utilizada neste processo o nosso corpo pede por ‘comida’, já que é através dela que obtemos a nossa primeira fonte de energia”.

Vale lembrar que a energia rápida vem dos carboidratos como massas, pães, bolos, torradas e também dos doces. “No inverno sentimos vontade de tomar algo quente para aquecer o corpo, como um chá, um chimarrão, um café com leite, chocolate quente ou um vinho, porém essa vontade nunca vem sozinha, ela vem acompanhada por bolos, chocolates, bolachas, salgados. O mesmo acontece com a sopa que sempre vem acompanhada por um pão”, explica Elisabete.

O que deve ficar claro, é que o desejo de comer não está só na necessidade de repor aquela energia utilizada para aquecer o corpo, mas também está nas nossas cabeças. Se o inverno lembra massas e queijos variados regados a vinho e você não controlar a quantidade desses alimentos, não será esse gasto a mais de energia que irá conseguir deixar o peso da balança equilibrado. “Iniciar agora é o ideal para que o nosso corpo não sofra com os quilinhos extras que o inverno pode nos trazer com tantas vontades”.

Outro agravante é a “preguiça” que o friozinho dá. “Não são todas as pessoas que tem ânimo de chegar à noite e ir para uma academia, por exemplo. Mas deveriam, em algum momento do dia, tirar no mínimo 30 minutos para se exercitar. Pode ser uma caminhada, uma bicicleta, uma aula de dança. Mexer o corpo fará uma grande diferença, e não é só a balança que irá se beneficiar com isso, a nossa mente também”, ressalta a nutricionista.

Outro fator preocupante com a mudança de temperatura é a maior incidência de gripes e resfriados, e para isso é preciso fortalecer o sistema imunológico. Uma boa dica é apostar em probióticos (leites fermentados e iogurtes), além de aumentar o consumo de vitamina C (laranja, limão, mamão, acerola, abacaxi, etc.).

“A quantidade de líquidos deve ser aumentada, mas não me refiro ao consumo de chás e chimarrão e sim da água pura que tem a função de hidratar o corpo, já que no frio a diurese (produção de urina pelo rim) está aumentada. Além de prevenir complicações pulmonares, pois ela ajuda a dissolver o muco dos pulmões”, frisa.

A nutricionista salienta que não importa a estação do ano, sempre haverá regras de alimentação saudável, seja frio ou calor. “Beba muita água, evite alimentos muito gordurosos, consuma com moderação os doces, não fique muito tempo sem se alimentar, coma frutas, verduras diariamente, varie o cardápio, saia da rotina”.

Para finalizar, alerta que é muito importante nesta fase fazer lanches intermediários para evitar o excesso de fome quando as principais refeições chegarem por exemplo.

Por daiane