Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 19 de Agosto de 2019

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Social

Noivo quase centenário se casa no sábado

, 29 de janeiro de 2016 às 8h41

Arroio do Meio – A igreja católica de Palmas sedia neste sábado mais um casamento. Esta seria apenas a celebração de mais uma união, salvo dois detalhes: o noivo é um quase centenário e a noiva, aos 52 anos, vai realizar o sonho de casar-se na igreja e vestida como tal.

Gomercindo da Cruz, 99 anos e Ana Marisa Silva estão juntos há cinco anos, sendo que há quase dois anos residem em Arroio do Meio. Viúvos, ambos irão se casar pela segunda vez. A data será comemorada conforme manda o figurino: igreja, padrinhos, aia e pajem – netos do noivo – e o tão sonhado vestido de noiva. A festa será realizada no salão ao lado da escola na presença de amigos e familiares.

Ana, que entrará na igreja com um dos filhos do noivo, está na contagem regressiva para o grande dia, quando entrará na igreja como sempre sonhou, vestida de noiva. “Não vejo a hora de chegar o dia. Estou ansiosa”, afirma. O vestido, o traje do noivo e as alianças já estão comprados, assim como todos os demais preparativos.

O casal se conheceu em Roca Sales por intermédio de amigos. Conforme Gomercindo, com menos de um ano de namoro, Ana já falava em casamento, mas ele nunca deu muita importância. “O sonho dela era casar na igreja, vestida de noiva e vou realizar este sonho antes de completar 100 anos”, afirma.

Gomercindo é natural de Sobradinho e tem 11 filhos. Em 23 de julho completa 100 anos. Grande parte de sua vida foi dedicada à agricultura e afirma que o segredo para manter a jovialidade – já que aparenta uma idade muito inferior – é o resultado de muito trabalho e, principalmente, de honestidade. “Eu não me acho velho, sou como sou”, frisa. Ana é natural de Encantado, tem quatro filhos e trabalhou por muito tempo em indústria. Para ela, o fato do noivo ser mais velho não foi empecilho para ficarem juntos.

Nos arredores da casa, Gomercindo e Ana possuem uma pequena lavoura, com milho, aipim e outras culturas para consumo próprio. Adeptos de uma vida simples, gostam de aproveitar a vida na casa que alugaram em Palmas quando se mudaram para Arroio do Meio. Não se sentem atraídos pelos bailes que lotam os salões e preferem estar juntos, à sombra das jabuticabeiras que já presenciaram e ainda hão de presenciar, muita conversa e alegria regadas a chimarrão.

Por daiane