Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 23 de Fevereiro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Comunidade discute ajustes na rua Bento Gonçalves

, 3 de agosto de 2015 às 9h00

Arroio do Meio – Líderes, autoridades e representantes da sociedade civil organizada, discutem a possibilidade de novas regras para o trânsito na rua Bento Gonçalves. A principal mudança sugerida é no trecho entre a rua Gustavo Wienandts e travessa Mariz e Barros.

O motivo é para implantação de uma nova via de retorno para o Centro, evitando com que os motoristas precisem retornar pela entrada principal da cidade, especialmente nos horários de pico quando ocorre congestionamento. O assunto já foi debatido nas reuniões da Comissão de Trânsito, porém, a morosidade para adoção de medidas é criticada pela comunidade.

Na ótica do vereador e motorista de ambulância, Nestor Matte (PMDB) o caso precisa ser bem estudado para não gerar confusões no trânsito especialmente aos motoristas que não conhecem a realidade das ruas estreitas do município. “Se ocorrerem alterações, o trânsito deve seguir num único sentido, em toda a extensão da rua”, afirma.

O empresário e presidente da Associação Industrial, Comercial e Serviços de Arroio do Meio (Acisam) Adaílton Cesar Cé, aponta que se o sentido do fluxo for invertido totalmente no trecho gerará riscos aos motoristas que precisam subir a lombada para a travessia na Dr. João Carlos Machado, por causa da falta de visibilidade. Cé defende o duplo sentido, até a interseção com a travessa Mariz e Barros. E defende que seja implantado sentido único na travessa, a partir da entrada do túnel do Supermercado STR, uma vez que a via é estreita demais para duas mãos.

Para o médico veterinário, Guinter Altmann, além da medida ser uma alternativa eficiente para os motoristas que querem voltar ao Centro sem passar pelo congestionamento, ela também é interessante para os clientes do supermercado.

O vereador Darci Hergessel (PDT) revela que a situação precisa ser solucionada com urgência, pois nos moldes atuais atinge em torno de 39 famílias, mais de 100 pessoas, moradoras do edifício Adelina Cé. “Grande parte dos moradores acaba subindo na contramão. Se não forem tomadas providências será feito um abaixo-assinado”, retrata.

O vereador Aldemir Gregori (PP), sugere divisões com catadióptricos (tachões) no eixo da pista, e que a conversão para quem sobe a via para acessar a travessa, ocorra pelo lado oposto (esquerdo), à exemplo das mudanças implementadas no contorno da Praça Matriz Marechal Floriano de Lajeado.

O delegado de polícia regional, João Merten Peixoto, morador da cidade, revela que já havia sugerido a mudança do sentido da rua Bento Gonçalves ou da rua São José. Caso não fosse possível, sugere a proibição de estacionar junto a calçada em frente ao Restaurante Ritts (toda a quadra) para que a criação de uma via específica para quem desejasse fazer o retorno da rua Gustavo Wienandts para o centro da cidade pela rua Dr. João Carlos Machado. “É ali que o fluxo de veículo nos horários de pico (no final da tarde) gera os congestionamentos na saída da cidade, prejudicando o retorno e o fluxo de veículos no entorno da rodovia ERS-130”, argumenta.

Por daiane