Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 26 de Fevereiro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agricultura

60 anos da Ascar-Emater/RS

5 de junho de 2015 às 9h06

Na terça-feira, dia 02 de junho a Ascar-Emater/RS, completou 60 anos de existência e de atividades no Rio Grande do Sul. Em 1954, por iniciativa do então governo do Estado, juntamente com o Banco de Crédito Rural e outros órgãos e entidades, foi criada a Associação Sulina de Crédito e Assistência Rural, que mais tarde transformar-se-ia em Emater.

Na nossa região, nas cidades de Estrela e Lajeado, a Ascar-Emater começou a marcar presença em 1956, portanto dois anos após o início do projeto e desde então o seu trabalho é incansável e ininterrupto e de extraordinários resultados.

Segundo dados da própria Empresa, a Emater está atualmente presente em 494 municípios, ausente em apenas três cidades do Rio Grande do Sul, tendo um quadro de cerca de 2.500 profissionais técnicos, multiplicadores de ações de orientações e de acompanhamentos de programas e projetos, sobretudo em pequenas propriedades rurais, hoje caracterizadas como sendo da agricultura familiar.

Tive a oportunidade de participar de parte de uma comemoração da Emater, na cidade de Marques de Souza, onde o Escritório Local reuniu a comunidade, entidades parceiras, para promover uma homenagem aos 60 anos, mostrando e relatando um conjunto de atividades que os profissionais desenvolvem com os agricultores e grupos sociais.

A Emater de Marques de Souza conta hoje com três profissionais técnicos muito bem relacionados com os agricultores e outros segmentos, realizando um trabalho de efetiva parceria, sempre contando com o apoio e presença do Escritório Regional.

Por se tratar de um município de pequeno porte, Marques de Souza conseguiu, por exemplo, em 2014, atrair recursos financeiros de mais de R$ 5 milhões, através de projetos de crédito, elaborados e assistidos pela Emater, visando o desenvolvimento das propriedades rurais nas mais diversas atividades. A quase totalidade desses recursos foi destinada a investimentos, proporcionando melhorias na cadeia de produção de leite, lavouras de pastagens, recuperação do solo, projetos de reservação de água, drenagens, agroindústrias, artesanato, saúde e bem-estar, questões que fazem parte do dia a dia do Órgão de assistência técnica.

As homenagens à Emater foram oportunas e justas, uma vez que não há praticamente família rural que não tenha tido alguma forma de contato com a mesma, ao longo das seus décadas. E com muita propriedade foram lembradas as épocas de existência dos Clubes 4S, os grandes encontros, os memoráveis concursos e motivações para que os jovens conseguissem sentir-se em condições de manter as propriedades e melhorá-las.

Hoje o trabalho com o jovem agricultor, é no sentido de conseguir que ele tenha no seu meio os recursos como telefone celular, mas principalmente o acesso à internet. É louvável a preocupação, conjunta, em Marques de Souza, onde a Emater e a Administração Municipal mobilizam-se para a concretização da disponibilização de um serviço imprescindível para quem se dispõe a permanecer na produção agropecuária, mas ligado ao mundo externo.

Não podemos deixar de destacar a preocupação do meio rural com o futuro da Emater, diante da ameaça de sua extinção, caso não seja resolvido o caso polêmico de condição de filantropia. Nos últimos anos aconteceram vários episódios, decisões, e, no momento o caso está na esfera judicial. E também não podemos deixar de observar que a Entidade vê ano a ano diminuir o apoio dos governos estadual e federal, com a redução de recursos para o desenvolvimento de seus projetos. Cogita-se, inclusive, um novo processo de enxugamento, ou seja em torno de 300 profissionais poderão vir a ser dispensados do quadro de profissionais da Emater, uma por contenção de despesas e outra porque esses colaboradores já estariam aposentados e seria uma forma de diminuir a folha. Sem recomposição das vagas, haverá, inevitavelmente, um prejuízo ao belo e histórico trabalho no meio rural, onde centenas de milhares de produtores rurais são assistidos.

Que a Emater continue fazendo um trabalho diferenciado, sobretudo nas atividades em que o objetivo é agregar valores a produtos, alimentos saudáveis, que beneficiam tanto o consumidor como o produtor, que são ações que desenvolvem e proporcionam conforto e qualidade de vida.

Por daiane