Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 09 de Agosto de 2020

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Saúde

Alimentação detox: a busca pelo equilíbrio interno

, 15 de maio de 2015 às 14h24

Se me perguntam o que é alimentação saudável, eu respondo prontamente, que é dar ao organismo, tudo aquilo, ou somente aquilo de que ele necessita. É buscar na natureza aquilo que ela tem de melhor, e manter equilíbrio entre nutrição consciente e agradável ao paladar (saciando meus desejos).

A busca por uma alimentação saudável, que consiga harmonizar o corpo e a mente conduzindo a um objetivo ideal, vem sendo explorada abundantemente. Conforme a nutricionista Claudia da Silveira, nesta busca pelo corpo “perfeito”, muitas pessoas encaram “dietas” muito distintas do que realmente se pode chamar de “alimentação saudável”, excluindo grupos alimentares importantes (tais como carboidratos e gorduras) e exagerando em outros (proteínas).

“Dentre estas tantas maluquices e dietas modistas que surgem, estão as chamadas dietas detox. O objetivo principal desta dieta, ao contrário do que se pensa, é desintoxicar o organismo de diferentes substâncias que o tornam suscetíveis a doenças, tais como: inflamações, aftas, candidíases, fungos diversos, intolerâncias e alergias alimentares, envelhecimento precoce, doenças crônicas não transmissíveis (diabetes, artrites, artroses, cálculos biliares, tumores, etc) e consequentemente manter o peso dentro do que se espera para aumentar a autoestima. Cada vez mais temos elementos artificiais sendo vendidos como alimentos”, ressalta.

Segundo Claudia, a dieta detox pode e deve ser composta por técnicas que auxiliam de forma natural a realização desta faxina interna, de forma gentil, simples e efetiva. “Não é nada revolucionário, utiliza práticas muito antigas”. Já dizia Hipócrates (fundador da medicina) a cerca de 400aC, “Faça do ato de comer um auxiliar de sua qualidade de vida” e disse ainda “Faça do seu alimento, seu remédio”. É isso que a dieta detox busca, o equilíbrio interno, através de alimentos.

A nutricionista explica que a proposta da desintoxicação parte do princípio da necessidade de conscientizar-se a cerca de minimizar sua exposição aos elementos que não estão em harmonia com a natureza (industrializados e artificiais, agrotóxicos), e auxiliar o corpo a eliminar toxinas que já se acumularam através do seu próprio mecanismo de excreção (suor, fezes, urina, respiração, menstruação). “Veja bem, não estou dizendo que devemos excluir totalmente os alimentos industrializados, não sou contra todos eles, mas sou contra os alimentos que não tem cunho nutricional algum (exemplo: margarina, refrigerantes, etc)”.

O processo detox está baseado em três pilares: alimentação pura e verdadeira; atividade física e desintoxicação. A alimentação deve:

evitar alimentos inflamatórios, tais como: açúcares de cana, frituras, alimentos aditivados, instantâneos, bebidas gaseificadas, entre outros.

e conter superalimentos como:

Chia: cujo nome significa força, é rico em fibras e ômega 3 e proteínas que auxiliam redução do colesterol ruim. É antioxidante e fortalece o sistema imune além de ser rico em cálcio, magnésio. Este alimento deve ser consumido já hidratado para evitar que roube líquidos do próprio organismo, visto que é uma semente hidrofílica.

Limão: cítrico preventivo poderosíssimo, elimina bactérias e toxinas, possui vitamina C, potencializando as defesas do organismo e evitando doenças.

Salsa: alimento ideal para limpar os rins, com suas propriedades diuréticas, estimulam o rim a eliminar toxinas, além de tratar contra doenças do trato gastrintestinal, inclusive formação excessiva de gases.

Coentro: quelante natural das toxinas dentre elas, os metais pesados contidos nos agrotóxicos, nos desodorantes antitranspirantes, cosméticos e outros.

Coco: seu óleo trás saciedade e estimula o metabolismo, consequentemente auxilia no emagrecimento, além de eliminar bactérias e tratar infecções crônicas.

Outros: chá verde, amêndoas, gengibre, maçã, mamão, frutas vermelhas (berrys), aloe vera (babosa), couve…

Sendo assim, a desintoxicação do organismo é mais complexa do que apenas consumir suco de couve. Veja bem, a couve pode ser um alimento desintoxicante também, desde que orgânico, sem pesticidas, caso contrário, ela terá o efeito inverso, esclarece Claudia. “Associe superalimentos, alimentos termogênicos, sementes e líquidos benéficos e você inclusive conseguirá eliminar alguns quilinhos. Cabe a cada um avaliar o que quer e encontrar prazer naquilo que faz, afinal, a desintoxicação permite que o organismo perceba com maior clareza o que lhe faz bem ou não. Escute o que ele tem a dizer e vocês estarão em constante harmonia”.

Uma oficina sobre o assunto foi ministrada pela nutricionista Claudia da Silveira na noite do dia 12 de maio, na Cantina Capeletti. Há a previsão de novas oficinas sobre o tema.

Por daiane