Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 12 de Dezembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agricultura

Nove famílias assinam contrato para construção de casas

, 29 de novembro de 2014 às 9h30

Arroio do Meio – Seis famílias do município e três de Travesseiro assinaram contratos com a Caixa Econômica Federal na manhã desta terça-feira, dia 25, para a construção de nove casas na área rural desses dois municípios. As casas devem ficar prontas entre quatro e seis meses. A contrapartida dos agricultores é R$ 2,5 mil, que inclui seguro de vida.

O Programa Nacional de Habitação Rural, (PNHR) é uma subdivisão do Programa Minha Casa Minha Vida do governo federal que beneficia pessoas que moram e trabalham na área rural. Antes da assinatura na Caixa Econômica Federal, as famílias estiveram no gabinete do prefeito Sidnei Eckert que confirmou a parceria com esses agricultores oferecendo a terraplanagem, abertura de fossa e o preenchimento de alicerce para a construção das moradias.

Pelo projeto, cada agricultor receberá R$ 28.500 para edificar a residência que deverá ter três quartos, sala e cozinha, totalizando 63,5 metros quadrados. A compra do material de construção é feita pelos beneficiados. Após entrega e assinatura da nota fiscal pelo agricultor, a loja fica apta a cobrar o valor na agência da Caixa Econômica Federal. “É um programa bem prático, o lojista recolhe assinatura, se dirige até a Caixa e já recebe o dinheiro”, fala o vice-prefeito Áurio Scherer.

Beneficiado pelo projeto, Inácio Hammer, de Arroio Grande Superior, comenta que a assinatura é a realização de um sonho. Ele fala que o momento representa a continuidade dos jovens na agricultura. “As pessoas da cidade precisam do interior para sobreviver, de onde sai a comida para alimentá-las. Os agricultores precisam se orgulhar do que fazem. Agora vamos ter a nossa casinha e dar continuidade à agricultura.”

Lari Hofstetter, coordenador do projeto, ressalta que a assinatura é resultado de muito trabalho e determinação, pois a conclusão leva tempo, podendo chegar a um ano. Ele comenta que o material a ser adquirido é igual para todos os beneficiados, e caso optem por material mais caro devem pagar a diferença. “O material a ser adquirido está na lista que vocês já receberam”, lembrou.

Segundo ele, esse é o último grupo no município a receber esse valor, já que no ano que vem o subsídio deve aumentar. Ele falou da importância do projeto no meio rural para que os jovens fiquem na agricultura. “Precisamos construir mais moradias para que os filhos de agricultores sigam a profissão dos pais”, disse.

Após a assinatura na Caixa Econômica Federal as famílias se reuniram no Sindicato dos Trabalhadores Rurais, onde receberam mais informações sobre o projeto.

Por daiane

O casal de Rui Barbosa Alaor e Clarice Hahn assinaram o contrato. Ao fundo o coordenador do projeto Lari Hofstetter e Caio Santana, presidente da Cooperativa de Habitação Camponesa