Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 21 de Outubro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Falta de segurança preocupa moradores às margens da ERS 130

, 17 de agosto de 2014 às 9h30

Arroio do Meio – Moradores do bairro Novo Horizonte se sentem inseguros ao utilizar a ERS 130. A alta velocidade imprimida pelos veículos e as ultrapassagens proibidas são as principais infrações cometidas pelos motoristas, potencializando o risco de acidentes. O perigo é maior aos pedestres que precisam atravessar a rodovia para trabalhar ou se dirigir à escola do bairro. Moradores reclamam também da falta de fiscalização por parte da Polícia Rodoviária Estadual.

Segundo eles, desde o recapeamento realizado pela EGR, há aproximadamente dois meses, não foi recolocada a sinalização horizontal, como faixas de segurança para travessia de pedestres e de escolares. Ainda falta a instalação de tachões no centro da via, o que impede que os motoristas ultrapassem em locais proibidos. A sinalização é deficitária do quilômetro 80 ao 82.

Nédio Magedanz, 44 anos, é motorista de veículo de carga. Utiliza a rodovia diariamente transportando rações para uma empresa do município. Conforme Magedanz, o trecho é perigoso não só pela falta de sinalização, também pela falta de bom senso dos motoristas. Relata que o perigo maior é entre 7h e 7h30min e 17h30min e 18h, quando o movimento de veículos e pedestres aumenta. “Temo pela segurança das pessoas, principalmente da minha mulher e minha filha que se expõem ao risco todos os dias quando atravessam a rodovia para ir ao colégio pela manhã e ao meio-dia”, desabafa.

O motorista Odirlei Kunzler mora na entrada do bairro Dona Rita, próximo ao Novo Horizonte, e diz que a quebra das regras de trânsito acontece também à noite quando os veículos transitam em alta velocidade. “À noite os veículos passam aqui a 120 quilômetros por hora, o que é muito perigoso.”

Na opinião dele, a recolocação dos tachões no centro da via e a instalação de lombadas eletrônicas regulamentando a velocidade para o local que é de 60 Km/h educaria os motoristas. Ele lembra que já viu vários acidentes nesse local em virtude da imprudência dos condutores.

A moradora do bairro Novo Horizonte, Sitania Rauber diz que a hora de maior perigo é no fim de tarde, quando trabalhadores terminam o expediente e precisam atravessar a rodovia para se dirigir para suas casas. “Acho que acontece pouco acidente aqui, pois essa rodovia é muito perigosa”, disse.

A Empresa Gaúcha de Rodovias foi procurada para falar sobre o assunto ainda na segunda-feira, mas até o fechamento da edição não havia respondido os questionamentos da reportagem.

PRE rebate as críticas

O comandante da Polícia Rodoviária Estadual de Encantado, sargento Edson Luiz Koslowski disse que as operações são realizadas em locais onde o número de acidentes é maior e nesse trecho não há índice elevado de ocorrências. E ressalta que a comunidade reclama demasiadamente. “A população reclama quando a PRE realiza a fiscalização, dizendo que se trata da indústria da multa. Quando não é realizada, critica falando que não há fiscalização”, desabafou. Mas ressaltou que se houver a necessidade de policiamento nesse local a PRE intensificará o trabalho.

Por daiane