Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 18 de Junho de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agricultura

Depois da Copa a volta à rotina

18 de julho de 2014 às 8h59

O Brasil como país-sede da Copa do Mundo de 2014, viveu de forma intensa esta primeira parte do ano, entre preparativos, expectativas, treinando agentes de turismo, incertezas sobre a nossa capacidade de bem receber os visitantes e, como não poderia ser diferente, muita ansiedade sobre o desempenho da nossa seleção.

O grande evento esportivo aconteceu e como em todas as competições esportivas, somente uma equipe chega ao título de campeã.

Muitas análises já foram feitas, outras ainda serão repercutidas. Ficaram marcas positivas, constatadas igualmente deficiências, resultados sociais e econômicos são estimados, deixando para os “milhões de técnicos”, a difícil tarefa de apontar os fatores que levaram a nossa equipe a um insucesso inesperado, que causou perplexidade.

Não querendo entrar no mérito de incontáveis questões, devemos lembrar por um bom tempo, os exemplos de civilidade da torcida japonesa, que deixava os seus locais no estádio bem limpos, sem lixo, etc, até as lições de planejamento da Seleção Alemã. Pois essa veio para cá, construindo, com seus recursos, os seus alojamentos, construindo, inclusive, uma estrada asfaltada, ligando o local de permanência (Bahia), com o centro de treinamentos. E nada de firula, nada de seus jogadores serem inacessíveis. Seriedade, simplicidade, postura elegante, foco e concentração, coroando, finalmente um trabalho que superou as demais agremiações. As derrotas são amargas, de difícil digestão, mas elas sempre nos ensinam muito. Precisamos descer de antigos pedestais.

Agora que passou a euforia da Copa, outros desafios estão aí. Iniciou, de forma bastante discreta, a campanha eleitoral deste ano. O assunto não terá a repercussão tão ampla como o evento futebolístico recente, mas para nós, no âmbito brasileiro, o pleito de outubro significa muito, principalmente para o nosso modelo econômico que se apresenta preocupante e com muitos riscos.

Quando olhamos ao nosso redor, não vemos os anúncios se confirmarem. A duplicação da BR 386, não teve o seu planejamento de execução cumprido. O quanto se disse a respeito das obras de asfalto de Capitão e de Travesseiro! Esta semana houve um anúncio de assinatura de novos contratos de financiamentos, talvez agora sai, quando estamos, efetivamente, no período eleitoral!

A participação da “torcida” nesse próximo “jogo democrático”, será mais importante do que a última Copa de Futebol.

EXPOINTER 2014

A 37ª edição da Exposição Internacional de Esteio, que acontecerá de 30 de agosto a 07 de setembro, deverá superar marcas anteriores de participação da agricultura familiar. O setor das agroindústrias está cada vez mais aprimorando e qualificando as suas atividades, apesar de sua competição com setores de grandes empreendimentos. Mas existe um lugar para todos e aqueles que conseguem produzir com competência, asseguram o seu espaço e a sua sobrevida, pois consumidores há para o que se faz com qualidade.

Projetos pioneiros

Preciso complementar alguns aspectos sobre o comentário da semana passada quando fiz referências aos “Condomínios de Produção de Leite” da COSUEL.

A partir de uma manifestação do presidente da Cooperativa, anunciando para o mês de agosto o provável início das obras de construção das unidades, em quatro municípios (Arroio do Meio, Nova Bréscia, Roca Sales e Candelária), me parece ser importante tocar em pontos como o aproveitamento, nesses projetos, da experiência de produtores que já estavam saindo do processo de produção e também as propriedades rurais que serão inseridas e que já estavam deixando de produzir.

Igualmente interessante é frisar que o funcionamento das Unidades será em forma de empresa. O grupo de produtores terá que organizar-se como associação-empresa, podendo desta forma ser atraente para a inserção de jovens rurais no empreendimento, inclusive na condição de funcionários, com contratos (carteira de trabalho). A Cooperativa sendo proprietária do complexo, mesmo que o alugue, proporciona uma maior segurança, em termos de planejamento e orientação técnica e outros suportes. O modelo é uma aposta e tem tudo para dar certo.

Por daiane