Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 27 de Setembro de 2020

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Cultura

Prendas estreiam na final do Enart

, 8 de novembro de 2013 às 9h19

Arroio do Meio – A uma semana da final do Encontro de Arte e Tradição (Enart), a disciplina e os ensaios fazem parte dos mandamentos das prendas Amanda Gabriele Rauber, 17, e Betânia Bersch Delazeri, 19. Elas representarão o CTG Querência de Arroio do Meio no maior evento tradicionalista do Estado, que ocorre entre os dias 15 e 17 na cidade de Santa Cruz do Sul.

Amanda, estudante de Engenharia Mecânica da Univates, competirá contra outros 25 concorrentes na modalidade Gaita de Botão até oito baixos. Já Betânia, que estuda Design de Moda na mesma instituição, enfrenta 37 na categoria Intérprete Solista Vocal Feminino.

Esta é a primeira vez que as duas chegam à final nas respectivas categorias. A gaiteira Amanda debuta na competição, enquanto que a cantora Betânia já esteve em outras edições, mas estreia no próximo fim de semana como finalista.
Para representar bem a entidade, as duas ensaiam constantemente, com muita disciplina. “Minhas músicas estão sendo bem ensaiadas, mas como é a minha primeira vez cantando no Enart, eu não tenho nem ideia quanto à colocação”, ressalta Betânia. Por sua vez, Amanda se dedica uma hora por dia para preparar a apresentação da gaita de ponto.

Idealizado em 1986 com o nome de Fegart, foi transferido de Farroupilha para Santa Cruz do Sul e, desde 1997, a cidade recebe o evento. O nome também mudou e se consolidou no meio dos tradicionalistas. Em 2009, passou a contar com transmissão online, pela TV Tradição (www.tvtradicao.com.br).

De pais para filhas

O ditado “filho de peixe, peixinho é” cai bem em Betânia e Amanda. As duas têm nas famílias a veia tradicionalista. No caso da primeira, a influência foi do pai e do tio, que sempre escutaram músicas gauchescas perto dela. Há cerca de dois anos e meio é que realmente se doa neste mundo.

No caso de Amanda, o pai foi o responsável pelo incentivo. Sempre participando dos eventos, levava a hoje universitária. Aos 9 anos, já adepta ao movimento tradicionalista, ganhou de seu pai uma gaita ponto.

Por daiane