Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 22 de Novembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agricultura

Certificação de propriedades

25 de outubro de 2013 às 6h00

Na manhã desta sexta-feira, Arroio do Meio será sede de um encontro que tem como objetivo promover uma discussão sobre o Programa de Combate e Erradicação da Tuberculose e Brucelose Bovina (Procetube), no modelo do projeto piloto que a comarca local iniciou em 2009.

Participarão do evento representantes da Secretaria Estadual de Agricultura e estão convidados representantes de municípios da região que já demonstraram interesse em aderir ao programa quando o mesmo for ampliado, possivelmente a partir do próximo ano, visto que os órgãos públicos terão que prever a inclusão de recursos financeiros nos seus orçamentos para 2014.

O processo de sanidade do rebanho bovino, em especial o leiteiro, é fundamental para a cadeia do leite, quando se quer pensar na profissionalização da atividade, na certificação das propriedades e, consequentemente, em uma remuneração melhor, diferenciada.

O produtor de leite deve estar atento ao que poderá ocorrer daqui para frente com a atividade, considerando o fato de que a produção nacional cada vez mais se mostra insuficiente para atender à demanda ou a procura. E neste caso, aquele que estiver em condições de atender aos requisitos da sanidade e corresponder ao que as indústrias irão exigir, poderá utilizar, principalmente a ferramenta da certificação, para barganhar um preço adequado.

Fundoleite

Na metade do ano o governo do Estado, através da secretaria de Agricultura, já havia encaminhado à Assembleia Legislativa, um projeto de lei, propondo a criação do Fundoleite, que seria um instrumento a regular a política leiteira no Rio Grande do Sul. A ausência de uma discussão com os segmentos envolvidos com a atividade e a falta de convicção da Secretaria Estadual de Agricultura de que a matéria representava o que o setor precisava, provocou a retirada do projeto, que agora foi reapresentado ou reencaminhado, possivelmente com algumas adequações.

Enquanto o governo interpreta de que o produtor não precisará contribuir para o financiamento da política, entidades já têm uma análise diversa. Mesmo que recaia sobre o setor industrial uma destinação de R$ 0,0004 por litro de leite há a desconfiança de que o tributo criado traga respingos para o leiteiro.

A partir do momento em que o projeto de Lei seja aprovado e transformado em Lei, será possível interpretá-la de forma mais real, lendo sua repercussão.

Aumento da energia

O anúncio de que os consumidores de energia elétrica, vinculados à CEEE, em torno de 4,5 milhões no Estado, terão um substancial aumento, quase 15%, não é uma notícia interessante para ninguém. Vai repercutir de várias formas, elevando o custo de produção nas principais cadeias no setor agropecuário, como suínos, frangos de corte, leite, enfim, ficará praticamente neutralizado ou anulado o benefício da redução adotada no início do ano, que em alguns casos chegou a 25%.

 

Por daiane