Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 04 de Abril de 2020

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Social

Divulgando culturas ao som do bandoneon

, 28 de junho de 2013 às 6h00

Argentina, Uruguai, Paraguai e Estados Unidos são pequenos perto de Passo Fundo. Pelo menos é o que pensa o arroio-meense radicado em Caxias do Sul, Ovídio Thomas, 75. É em solo passo-fundense que ele prefere participar dos encontros de bandoneon, instrumento que adotou a partir dos 71 anos.

Em sua carreira já possui uma dezena de CDs gravados com canções que abordam diversas culturas como alemã e italiana. Mas, também não esconde suas raízes. Um de seus álbuns retrata um pouco sobre como ele vê Arroio do Meio.

Aos 10 anos, ganhou seu primeiro instrumento, um cavaquinho para acompanhar o pai Ervino Thomas em festas e bailinhos de casamento. Com 16 anos, começou a tocar gaita, mas foi há quatro anos que ele comprou o instrumento com que mais se identifica, o bandoneon.

“O bandoneon é difícil de tocar e até pegar o jeito do instrumento, levantava diversas vezes de madrugada para ensaiar por duas horas”. Foi com esse instrumento que surgiu a ideia de gravar CDs em diversos estilos. Entre eles estão bandinha, chamamé, entre tantos outros.

A relação de Ovídio com o bandoneon já o fez participar de diversos encontros nacionais, além de mostrar um pouco do seu trabalho em outros países como Argentina, Uruguai, Paraguai e Estados Unidos, onde participou do Festival do Folclore no estado do Tenessi. Segundo ele, é muito interessante participar desse tipo de encontro, pois se acaba conhecendo muita gente importante do ramo.

Um dos recentes compromissos de Ovídio foi a participação em um encontro de instrumentistas no Paraná. Mas para ele o melhor de todos ocorre em Passo Fundo no dia 16 de novembro. “É um dos melhores encontros que já participei, pois a característica principal do evento é que só participam amadores. No amador aparece cada coisa de arrepiar o cabelo. É algo diferente do profissional que já tem seu espaço na TV”.

Para divulgar seu trabalho, Ovídio vende os CDs de mão em mão ao valor de R$ 10, pois assim consegue pagar os custos do produto.

Natural de Arroio do Meio, Ovídio foi morar com dois anos de idade para São Martinho, cidade localizada na região Noroeste do Rio Grande do Sul. Atualmente, reside em Caxias do Sul, porém, visita Arroio do Meio duas vezes por ano para ver os parentes. Segundo ele, ainda não teve a oportunidade de tocar no município, mas se surgir algum convite, virá com o maior prazer. Contatos podem ser feitos através do telefone (54) 8114-8282.

Por daiane