Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 21 de Novembro de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Economia

CentralSul inaugura fábrica em Arroio do Meio

, 19 de maio de 2013 às 10h00

Arroio do Meio – A empresa CentralSul inaugurou as novas instalações no município. A solenidade ocorreu na sexta-feira (10) e contou com a presença de autoridades, funcionários e parceiros do empreendimento. Em 17 anos de atividades, a CentralSul possui pontos de venda em todo o Brasil e sonha mais alto.

A sede da empresa, que em Arroio do Meio tem dois mil metros quadrados, já teve 30 m². Como todo o início, o da família Schott não foi fácil. Mas a persistência e o engajamento de todos fez edificar-se um grande empreendimento. Com um total de 70 colaboradores, a CentralSul tem um objetivo bem claro: ser reconhecida como uma marca que oferece produtos de qualidade e excelente apresentação para seus consumidores.

“Hoje não estamos em Arroio do Meio por acaso. Isso tudo é resultado da confiança que conquistamos, do envolvimento de muitas pessoas que acreditaram no potencial da empresa, e de uma aposta da Administração Municipal e comunidade”, declarou o patriarca Olívio Schott. Ele e o filho Michel iniciaram esta história, que logo contou com o apoio da irmã Karine e da esposa Salete.

Atualmente, a empresa comercializa 120 produtos diferentes, na linha de embelezamento automotivo. Os trabalhos foram iniciados em Cruzeiro do Sul, depois em Lajeado e agora, os pés estão firmes por aqui.

“É uma honra para nós recebermos uma empresa como a CentralSul. Apostamos na diversificação das atividades no município, assim como na tecnologia, que traz prosperidade a todos. Estamos felizes e parabenizamos mais uma vez esta família que tanto lutou e colhe os resultados de sua caminhada”, disse o prefeito Sidnei Eckert.

Histórico

A CentralSul iniciou as atividades há 17 anos, depois que a empresa multinacional, que o senhor Olívio Schott trabalhava, encerrou as atividades no Brasil. A empresa atuava no ramo de manutenção industrial e automotiva. A partir daí, Schott decidiu usar toda a experiência adquirida nesses anos de trabalho e montou a própria empresa, junto com um amigo.

Apesar da parceria não ter dado certo e de muitas outras dificuldades no caminho, o empreendedor não desanimou e persistiu na vontade de crescer. O próximo passo foi o início de uma empresa em sua residência. Lá, Schott fabricava os produtos à noite e vendia durante o dia. Ele comprava a matéria-prima, fabricava, vendia, cobrava, pagava as contas e seguia acreditando no sonho.

Daí em diante nasceu a CentralSul. O nome faz referência à localização da empresa, no centro do Rio Grande do Sul, estado mais ao sul do país. No período inicial eram apenas quatro produtos comercializados: shampoo, desengraxante, metasil e silicone. O silicone, que já levava o nome de Destaque, está na preferência do consumo e pode ser encontrado em todos os estados do Brasil.

Percebendo que os negócios estavam prosperando, Schott alugou uma sala, com cerca de 30 metros quadrados. Contanto com o filho Michel, na época com 14 anos, que fabricava os produtos em turno oposto ao da escola. Assim, o empresário tinha mais tempo livre para vendê-los. Aos finais de semana, pai e filho fabricavam e envasavam o silicone Destaque na garagem de casa.

No ano de 2000, Olívio Schott e a família mudaram-se de Cruzeiro do Sul para Lajeado, onde foi alugado um prédio de 250 m² para dar continuidade às atividades da CentralSul. Neste ano, a esposa Salete, que era professora, abriu mão de meio turno para ajudar na empresa. Salete atendia o telefone, emitia notas fiscais e pagava as contas e à tarde ia até Cruzeiro do Sul dar aulas.

Foi com muita garra e persistência que o sonho do patriarca da família começou a tomar forma. Assim foi contratado o primeiro funcionário, que na época fazia de tudo um pouco, e hoje é o químico responsável da empresa. Nessa altura, a filha Karine também passou a fazer parte do grupo, conciliando trabalho e faculdade.

Michel passou a vender os produtos pelo Estado, começando pelos postos de combustíveis. Em pouco tempo, não havia cidade no Rio Grande do Sul em que não houvesse pelo menos um ponto de vendas com os produtos da CentralSul. Depois disso, os produtos foram anunciados em Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. O caminho foi sendo seguido, e em pouco tempo Michel já andava por Manaus, Belém, Fortaleza, Recife, até cobrir todo o território nacional.

Em 2004, Schott enfrentou problemas de saúde, mas a pequena equipe permaneceu unida, assumindo frentes de trabalho na produção, vendas e entregas. Nesse período, a empresa percebeu que, para crescer, precisava lançar mais produtos e desde então não parou mais.

Por daiane