Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 04 de Agosto de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Polícia

Brigada Militar pede auxílio à comunidade

, 25 de maio de 2013 às 9h40

Arroio do Meio – O crescimento do número de arrombamentos e furtos ao comércio no município provocou uma reunião entre a Brigada Militar da cidade e empresários. O encontro foi solicitado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e ocorreu na Câmara de Vereadores na noite de terça-feira.

Conforme o presidente da CDL arroio-meense, João Fuhr, o encontro é necessário para ampliar a discussão sobre o tema. Há uma sensação de insegurança entre os comerciantes da cidade. A comandante do batalhão na cidade, capitã Karine Brum, solicitou o apoio da comunidade.

Reforçou que os soldados se esforçam para evitar as ocorrências, mas a falta de efetivo contribui para o problema. Hoje, a corporação está com a metade do que é considerado ideal – mas, não informou o número por questões de segurança. A maioria dos soldados vem de outras regiões, o que complica ainda mais a situação.

“Alguns pedem transferência e nós nem sempre conseguimos evitar.” No início do ano, dois solicitaram o realocamento para outras cidades e Karine teve de acatar a decisão da corporação em Porto Alegre, por mais que a transferência tivesse parecer desfavorável dela e do comandante do Comando Regional de Policiamento Ostensivo (CRPO-VT), o coronel Antonio Scussel.

Bolsa moradia

Karine citou como exemplo a cidade de Dois Lajeados e municípios da Serra. Muitos soldados preferem ir para lá – mesmo que o município seja pequeno ou tenha altos índices de criminalidade – por um fator principal: nestes locais, são oferecidos o auxílio moradia.

Como o salário é baixo, os policiais militares preferem ir para os locais em que há este benefício. Assim, conseguem fixar residência e levar a família consigo. Apesar de ser elogiável a iniciativa, houve manifestações contrárias. “O problema de uma ação como essa é que pode estimular o Estado a não cumprir o seu papel, já que o município fará”, sentenciou o prefeito, Sidnei Eckert.

Este benefício, pelos cálculos de Karine, seria de meio salário mínimo para cada soldado que morar na cidade. Se fosse levado o número ideal de efetivo, o máximo de investimento seria de R$ 15 mil mensais.

Devido a importância do tema, o CDL promoverá um Café.com extraordinário com a BM. O evento ocorre no dia 13 de junho.

Ações definidas

Enquanto projetos como o de auxílio moradia são estudados, BM e empresários definiram algumas ações. Por parte da corporação, haverá visitas nos estabelecimentos para sugerir a implantação de medidas de segurança, como instalação de grades e de câmeras de vigilância.

Dos empresários, ouviu-se a possibilidade de se comprar, em conjunto, estes equipamentos. Segundo a empresária Cátia Schnorr, que fez a sugestão, seria menos oneroso para todos e a abrangência da captação de imagens seria maior.

Para o delegado de Arroio do Meio, João Sellig, há também a necessidade de cada empresário investir em equipamentos de segurança próprio. Acompanhou a fala do juiz João Regert, de que muitos crimes são solucionados devido a essas imagens.

Karine acrescentou também que todas as viaturas contarão com monitoramento eletrônico. Hoje, três contam com GPS e as outras duas deverão receber o equipamento em breve, com o apoio financeiro da Administração Municipal.

Por daiane