Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 07 de Abril de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Meio Ambiente

Outono chega com chuvas na média

, 14 de abril de 2013 às 9h00

Vale do Taquari – O volume de chuvas esperado para os próximos meses ficará na média na região, seguindo a tendência no Estado, de que os volumes fiquem dentro do padrão climatológico da estação. As chuvas, porém, poderão ocorrer de forma irregular. Em algumas regiões os volumes podem ficar um pouco acima do padrão, como já ocorreu no mês de março no Vale. O resultado foi um acumulado de 238 mm (mais que o dobro da média do mês, que é 110 mm).

O outono é considerado uma estação de transição, ou seja, observa-se já algumas características de inverno, porém ainda ocorrem características do verão. “Tradicionalmente, a principal mudança do outono é a grande variação das temperaturas ao longo do dia, ou seja, trata-se de um dos períodos do ano com maior amplitude térmica (noites frias e tardes quentes). É comum o aumento dos volumes de chuva no decorrer da estação, especialmente a partir de maio e junho, pois há o aumento gradativo de passagem de frentes frias pelo sul do País”, explicou a auxiliar técnica do Centro de Informações Hidrometeorológicas da Univates, Juliana Tomasini.

No ano passado, a estação teve a influência do fenômeno La Niña que atuou durante o verão, embora durante a estação, o oceano Pacífico equatorial não tenha apresentado alterações de temperatura significativas. Diante desta condição, o outono de 2012 teve as chuvas distribuídas de forma irregular no Estado, sendo que no Vale do Taquari os acumulados mensais ficaram abaixo da média.

A tendência para o outono deste ano, que iniciou dia 20 de março às 08h02min, de forma geral, será de neutralidade climática. Não há atuação de El Niño e nem La Niña. Entretanto, há presença de águas mais frias sobre o Oceano Atlântico (na altura da Argentina) o que está favorecendo a entrada de massas de ar frio para o RS e trazendo temperaturas mais baixas para o começo da estação. Isto explica o fato de março deste ano ter apresentado poucos dias de temperaturas mais elevadas, acima dos 30°C (somente cinco dias), conferindo características atípicas para o período.

Em relação às temperaturas, o outono de 2012 teve características típicas da estação. No início da estação as temperaturas ainda apresentavam características semelhantes ao verão, ocorrendo vários dias em março e abril com temperaturas máximas em torno dos 30°C. No transcorrer da estação, as temperaturas ficaram mais próximas das características do inverno.

Nos próximos meses, ainda ocorrerão dias com maior aquecimento, mas espera-se predomínio das temperaturas amenas durante a estação, ficando as temperaturas médias um pouco abaixo do normal. Assim, o inverno também pode chegar mais cedo, podendo já no final do mês de abril ocorrer dias típicos de inverno: frio mais intenso e até mesmo as primeiras geadas.

El Niño e La Niña

El Niño e La Niña se caracterizam por significativas alterações na temperatura da água da superfície do Oceano Pacífico, que produz efeitos climáticos em todo o planeta. El Niño, que em espanhol significa “O Menino” ocasiona o aquecimento das águas da superficiais do Oceano Pacífico é a direção do vento que então sopra do leste para o oeste, ou seja, em direção à Asia, deslocando a água da faixa tropical que está aquecida pelo sol, e aumentando o nível do Oceano. Embora muitos pensem ao contrário, o El Niño é um fenômeno que acontece a milhares de anos, no entanto apenas recentemente ele vem sendo objeto de estudo pelos cientistas, interessados nas mudanças climáticas que ele provoca nas regiões afetadas diretamente e também em todo o planeta.

La Niña que significa “A Menina” em espanhol, caracteriza-se pelo resfriamento das águas superficiais da região Equatorial do Oceano Pacífico, ocorrendo também no final do ano e quase sempre subsequente ao El Niño. Também é provocado pela força e pela direção do vento que ocasionam as diferenças na temperatura e na pluviosidade nos continentes que circundam aquele oceano. O resfriamento do oceano causado pelo La Niña tem repercussão direta sobre os ecossistemas marinhos, que ficam ricos em nutrientes, aumentando a vida marinha.

Por daiane