Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 05 de Agosto de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Economia

Município repassa segunda parcela de incentivo financeiro para expansão da empresa Girando Sol

, 22 de março de 2013 às 9h30

Arroio do Meio – Quem circula pelo bairro São Caetano, ao longo da rua Arthur José Schroeder, já pode perceber a dimensão das futuras instalações da Indústria e Comércio de Produtos de Limpeza Girando Sol. A obra que totalizará 22 mil m² de construção, num investimento superior a R$ 40 milhões, concentrará as linhas de produção da indústria em um moderno complexo, numa área de mais de 100 mil m². Com 21 anos de atuação no mercado de produtos de limpeza, a empresa atualmente divide a sua produção em três prédios diferentes, dois deles em Arroio do Meio, onde está localizada a Matriz, e outro em Lajeado.

Na última semana, a Administração Municipal fez o repasse do incentivo financeiro de R$ 566 mil à empresa. O ato foi realizado no Gabinete do Executivo e contou com a presença do prefeito Sidnei Eckert, vice Áurio Scherer, secretário da Indústria e Comércio, Norberto Dalpian, secretária da Fazenda, Jaqueline Kuhn, diretor da empresa, Gilmar Borscheid, financeiro José Ironeu Schulze e contador Flávio Warken. Além desta, outra parcela foi repassada à empresa em 2012 e mais duas estão previstas, concedendo incentivos para fins de expansão das atividades da indústria, somando R$ 2 milhões de repasse ao longo de quatro anos, além da concessão de incentivo em retorno de ICMS gerado pela nova planta, pelo prazo limite de doze anos.

De acordo com o sócio-fundador e diretor Gilmar Borscheid, assim que for concluído o primeiro bloco, com seis mil m², inicia a transferência do estoque e de algumas linhas de produção, para posterior adaptação e remanejo das demais linhas ao novo endereço, previstos para o segundo semestre do ano. A empresa conta atualmente com 350 colaboradores e um portfólio de 150 produtos comercializados nacional e internacionalmente. A projeção, segundo Borscheid, é de ampliar em 25% a 35% a linha de produtos, o que atualmente é impossível devido ao espaço físico limitado. Além disso, a mudança para uma infraestrutura planejada, com local adequado para estacionamento de carros e caminhões, deve desafogar o trânsito nos bairros Centro e Navegantes, onde atualmente estão localizados os prédios da empresa e são realizados os carregamentos.

Por daiane