Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 30 de Março de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Conselho de Trânsito retoma as atividades em abril

, 2 de março de 2013 às 9h00

Arroio do Meio – O Conselho Municipal de Trânsito (CMT) será reativado neste mês. Após ter as atividades suspensas no início de 2012, devido ao período eleitoral, a comunidade, entidades empresariais e setores da Administração Municipal se reúnem nas próximas semanas para definir a composição da entidade.

O primeiro encontro está previsto para abril. Conforme o coordenador de secretarias municipais, Klaus Schnack, a dúvida é quanto à data, mas será sempre na quarta-feira anterior à sessão dos vereadores.

Enquanto os trabalhos ficam para o próximo mês, março será usado para definir os detalhes do CMT. O principal é a nomeação do coordenador do conselho, que deve ficar a cargo de algum setor da Administração Municipal. “O prefeito está definindo qual secretaria coordenará os trabalhos.” Entre as possibilidades estão o Departamento de Trânsito e a secretaria de Indústria e Comércio.

Devem compor a entidade 20 pessoas de diversos setores, entre sociedade civil, classes empresariais e setor público. Nos encontros mensais, serão discutidas as reivindicações da comunidade para melhorias no trânsito. Um dos principais pedidos é para a instalação de quebra-molas.

Schnack acrescenta que a comunidade pode ser convidada para participar de alguns encontros. As reivindicações, quando aprovadas, serão enviadas ao município. Schnack ressalta que os pedidos não precisam ser feitos diretamente no CMT. Qualquer cidadão pode se encaminhar à prefeitura e protocolar as reivindicações.

“Falta integração de todos”

Com uma frota de 12.406 veículos, Arroio do Meio chega a uma média de 0,65 carro por habitante. O crescimento é estimulado pela política de incentivo à compra de carros novos, com base na redução do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI), que começou em agosto de 2012 e só encerrou em janeiro deste ano. A tendência é a frota aumentar.

Para a coordenadora de Segurança Pública, Mobilidade Urbana e Trânsito da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), Renata Elisabeth Becher, há um comportamento egoísta por parte dos motoristas. “Falta a integração de todos”, sentencia.

Renata foi convidada pelo prefeito Sidnei Eckert a palestrar para a comunidade na segunda-feira. O assunto foi a importância de um consenso e mais consciência sobre as atribuições de um Conselho Municipal de Trânsito. “Há muitos atropelamentos porque o motorista tem pressa e não tem paciência para esperar um pedestre atravessar a rua.”

Este é um dos exemplos dos diversos flagrantes que faz, diariamente, quando se desloca para o trabalho, em Porto Alegre. Entre as mudanças de comportamento sugeridas pela especialista é a de oferecimento de caronas, um estímulo ao rodízio de veículos.

Plano de mobilidade urbana

Renata ressaltou que um plano de mobilidade urbana só é obrigatório para municípios com mais de 20 mil habitantes. Arroio do Meio está fora desta obrigatoriedade, mas já se prepara para estudar melhor o trânsito da cidade.

Eckert reconhece a necessidade de mudanças. A frota tende a aumentar, uma vez que são emplacados 600 veículos novos na cidade por ano, em média. “Temos cada vez mais pessoas, carros e veículos circulando na cidade.” A atração de grandes investimentos, como a fábrica de chocolates da Neugebauer e a fábrica de leite em pó da Cosuel, assim como a ampliação da Girando Sol, tende a contribuir para a complicação de tráfego.

O reflexo é sentido nos acidentes e nos pequenos engarrafamentos que surgem no perímetro urbano, nos horários de pico. Um dos pontos mais complicados é no trevo de acesso ao município pela ERS-130, onde a demora pode chegar a dez minutos.

A lei federal atribui a responsabilidade do município em perímetro urbano.

Por daiane