Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 02 de Abril de 2020

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Saúde

Lombalgia: um problema que exige atenção e cuidados

, 8 de fevereiro de 2013 às 15h53

A lombalgia é um dos problemas médicos mais comuns, afetando oito em cada 10 pessoas num dado momento de suas vidas. Esta dor nas costas pode variar de uma monótona dor constante a uma dor súbita e aguda.

Conforme o quiropraxista Andreo Sturmer muitas pessoas sofrem desnecessariamente com dor lombar. Existem muitas fontes da dor (a partir de articulações desalinhadas e/ou função neurofisiológica alterada conhecida e descrita na quiropraxia como complexo de subluxação), a inflamação sobre os nervos, espamos musculares, entorses ou distensões e problemas de disco. Há condições ainda mais graves, incluindo o câncer. “A maioria dos pacientes recorrem inicialmente aos medicamentos como forma de tratamento (relaxantes musculares, anti-inflamatórios e analgésicos).

Porém nenhum desses medicamentos corrige o problema mecânico que pode estar causando a dor, eles apenas aliviam os sintomas dando uma falsa sensação de bem estar ao paciente que acredita que está ‘melhor’. A dor é apenas um sinal de que temos um problema e trata-se de uma proteção às estruturas machucadas”.

A região lombar é formada por cinco vértebras que sustentam todo o restante da coluna vertebral. Além disso, a última vértebra lombar é ligada com o osso sacro, que se conecta com duas grandes estruturas chamadas de “ossos ilíacos”, considerada como a base de toda a coluna. “Qualquer problema nestas estruturas pode comprometer o funcionamento da coluna e trazer uma infinidade de complicações ao paciente”, salienta.

O tipo mais conhecido de lombalgia é a de origem mecânico-degenerativo, caracterizada pelo funcionamento inadequado das estruturas da coluna vertebral, que se desgastam (artrose) e inflamam com o decorrer da vida através dos maus hábitos posturais, traumas, e desordens emocionais associadas.

Quais os sintomas?

O termo lombalgia refere-se a qualquer tipo de dor na região baixa da coluna vertebral e os tipos de desordem dependem da estrutura afetada e do fator que causou a lesão.

Andreo frisa que os sintomas envolvem desde um leve incômodo na região baixa da coluna que não se agravam com o movimento, como também podem apresentar dores realmente incapacitantes, que impedem o paciente de realizar qualquer tipo de movimento, e com sintomas neurológicos de dormência, formigamento, e perda de força dos membros inferiores.

Nos casos em que existem sintomas neurológicos, é possível que seja por problemas causados no disco intervertebral, também conhecido pelo termo “hérnia de disco”; por estreitamento do canal em que passa o nervo (estenose); ou por pinçamento de estruturas ósseas nos nervos (osteofitose), conhecidas popularmente como bico-de-papagaio.

Como é o Tratamento?

Nos processos inflamatórios da coluna lombar, é muito comum encontrarmos uma sequência de outras disfunções que se agravam com o decorrer do tempo e formam um ciclo vicioso onde notamos as seguintes situações: quando uma articulação passa a não exercer a sua função normal, os músculos envolvidos contraem demasiadamente, exigindo das estruturas estabilizadoras da coluna vertebral que, inflamarão e provocarão os sintomas da dor ou desconforto.

Segundo o quiropraxista a dor é sempre um sinal de que algo está errado e quando o corpo percebe esta mensagem, reage com maior rigidez como tentativa de defender aquela estrutura, que neste caso, infelizmente, provoca agravamento da funcionalidade mecânica do corpo, dando continuidade ao ciclo vicioso relatado anteriormente.

“A quiropraxia tem o objetivo de anular este ciclo vicioso através das técnicas manipulativas nas articulações com problemas, normalizando o funcionamento mecânico do corpo e consequentemente, reduzindo os sintomas de dor e inflamação” .

Andreo alerta que no caso das lombalgias, é fundamental que haja uma avaliação correta do que está causando os sintomas de dor. “Além dos exames físicos realizados pelo quiropraxista, exames de imagem (Raio-x, Ressonância e Tomografia Computadorizada) e laboratoriais podem auxiliar no diagnóstico além de contribuir no tratamento quiroprático da lombalgia.

Se você ou alguém que você conhece sofre com dor nas costas, procure um quiropraxista e agende uma avaliação minuciosa para determinar a causa da dor. Uma vez que determinar a causa real, o quiropraxista pode iniciar um plano de tratamento quiroprático que corrija os desequilíbrios e permita que você não apenas fique livre da dor, mas da causa dela. Assim, você pode desfrutar das suas atividades diárias normais, novamente e evitar mais problemas no futuro.
“A manipulação das articulações da coluna é algo sério e precisa ser realizada por alguém preparado, graduado em curso superior e experiente”.

Por daiane