Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 23 de Setembro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Municípios e CIC estudam firmar convênio para agilizar a duplicação da RS 130

, 18 de setembro de 2012 às 7h00

Prefeitos, secretários municipais e líderes empresariais de Arroio do Meio, Lajeado, Venâncio Aires, Cruzeiro do Sul, Mato Leitão, Encantado e Muçum, estiveram reunidos na tarde da última segunda-feira, na Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT), para debater a viabilidade da contratação de projetos executivos de impacto ambiental e econômico para a duplicação das ERS 453, 130 e 129 – trecho entre Venâncio-Muçum. O encontro foi coordenado pelo presidente CIC VT, Oreno Ardêmio Heineck.

De acordo com a proposta, cada município custeará R$ 8 mil pelo pagamento do Relatório Técnico de Vistoria Ambiental (RTVA) e Estudo de Viabilidade Tecno-Econômica e Ambiental (EVTA). Antes disso, os municípios encaminharão projetos de lei para suas respectivas Câmaras de Vereadores, a fim de aprovação do convênio e repasse do recurso. Resolvida essa questão, o projeto será encaminhado ao Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER), para ser formalizado e incluído no orçamento de 2013.

As manifestações inter-regionais pela duplicação das RSC 453, ERS 130, e ERS 129 – trajeto Venâncio Aires/ Muçum – começaram em outubro de 2011, numa iniciativa do município de Arroio do Meio. Ao todo são 70,3 km de extensão, com cinco pontes no caminho. A estimativa é que os custos do projeto cheguem a R$ 9 milhões, já a obra deve custar R$ 300 milhões ao Governo do Estado.

O porquê da duplicação

O assunto cresceu em importância devido ao expressivo movimento da rodovia, que registra pesado tráfego de caminhões, ônibus e automóveis e outros tipos de veículos. Tráfego esse, que deverá aumentar ainda mais com fatores como a chegada de novas empresas e o crescimento de outras situadas ao longo ou próximas da mesma; o número crescente de alunos da Univates e a migração de pessoas vindas de outras regiões.

Somam-se a esses a crescente atividade econômica ao longo e no entorno, não só do trajeto em questão, mas também das regiões que ele conecta e cujas riquezas e pessoas por ali transitam; e a duplicação da BR-386, entre Estrela/Tabaí, que igualmente contribuirá para o aumento do fluxo de veículos.

Por daiane