Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 22 de Novembro de 2019

O Alto Taquari - Cotidiano

Jornal da Semana
Comportamento

Hora do recreio: as lições do intervalo

, 21 de setembro de 2012 às 16h08

O intervalo entre as aulas representa um aspecto especial na rotina escolar. Muitas vezes, trata-se do único momento em que os alunos podem fazer opções: com quem conversar, de quem se aproximar, onde e como brincar. É o espaço-tempo que os convida a explorar diferentes percursos e aprender algo mais sobre relações grupais. Não é à toa que, para boa parte dos estudantes, o recreio é a hora mais esperada.

Chegou a hora do recreio! Este é um dos anúncios mais esperados pelos alunos. Na infância ou adolescência o recreio da escola é um momento para cultivar relacionamentos, contar as novidades, ou até mesmo jogar conversa fora. Também é um momento onde podem fazer opções: com quem conversar, de quem se aproximar, onde e como brincar. É o espaço-tempo onde muitas experiências significativas se constroem ou se intensificam nesse período de 20, 30 minutos, espaço que os convida a explorar diferentes percursos e aprender algo mais sobre relações grupais nem sempre fáceis, pois é neste momento que podem surgir conflitos e terão que aprender a lidar com eles.

Na opinião da psicopedagoga e mestranda em Ciências da Educação Carla Cristina Sulzbach, a escola é um lugar de socialização e é nela que devemos ensinar as crianças e adolescentes a lidar com os desentendimentos sem jamais negar a existência deles. As escolas têm implantado estratégias formativas para que professores e funcionários atuem de forma educativa nos recreios. É com o olhar atento sobre as relações que os professores poderão entender os problemas que emergem dos grupos.

Por isso, poder promover debates em conselhos de classe, assembleias ou no próprio grêmio estudantil é levá-los a compreender o universo dos conflitos coletivos e propor ações para solucioná-los. Propiciando atividades de interesse do aluno e dando-lhe ocupação útil, à sua livre escolha, o recreio se transforma em poderoso auxiliar do processo pedagógico da escola.

Enfim, Carla conclui que o lazer é uma necessidade humana e uma possibilidade de produção de cultura, crianças e adolescentes podem e devem vivenciá-lo, aprendendo a valorizá-lo e a desfrutá-lo de maneira crítica e criativa. Propiciando atividades de interesse do aluno e dando-lhe ocupação útil, à sua livre escolha, o recreio se transforma em poderoso auxiliar do processo pedagógico da escola.

Opiniões

“Na hora do recreio ou gosto de ir na escada da escola conversar com minhas colegas e com minhas amigas de outras turmas. Também gosto de brincar de três voltas com algumas colegas. Às vezes, eu e minhas amigas ficamos passeando pela escola conversando.”

– Vitória Canepelle, 5º ano, escola João Beda Körbes

“O recreio serve para usar o banheiro e fazer nosso lanche. Colocar os assuntos em dia também é importante e não pode faltar a brincadeira porque quem brinca sempre tem um pouco de criança dentro de si. Gosto de brincar de esconde-esconde.”

– Alex Kramer, 5º ano, escola João Beda Körbes

Por daiane