Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 21 de Outubro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Meio Ambiente

Coordenadoras apresentam ações do projeto Verde é Vida

, 22 de junho de 2012 às 15h02

Desde 2009 a Escola Municipal Arlindo Back vem participando das ações do projeto Verde é Vida, da Afubra. A ação que é voltada para a educação ambiental, consiste em uma série de metas e ações ligadas à sustentabilidade. Uma delas é a realização de pesquisas científicas por parte de alunos e professores, que proporcionam um conhecimento mais aprofundado das propriedades do distrito de Forqueta.

Essas pesquisas são desenvolvidas ano a ano pelos alunos, que cada vez se aprimoram mais sobre um determinado assunto. Na manhã da terça-feira, a coordenadora municipal do Verde é Vida, Marlise Führ, diretora da escola Arlindo Back, Traudi Arend Kremer, e coordenadora escolar do projeto Verde é Vida, Rosemere Ruppenthal visitaram a redação do AT para falar sobre as ações realizadas no educandário.

Elas destacam que um desses trabalhos foi exposto na Mostra Regional de Pesquisas Científicas, realizado no município de Cruzeiro do Sul, no último dia 14. A melhor pesquisa entre os sete municípios que compõem a regional de Venâncio Aires será exposta na ExpoAgro Afubra do próximo ano, evento realizado em Rincão Del Rey, Rio Pardo. No ano passado, a escola Arlindo Back representou a regional na feira, com a pesquisa que abordou o reaproveitamento de dejetos de animais.

Os alunos do 5º ano, coordenados pela professora Rosemere, apresentaram uma pesquisa sobre a coleta e aproveitamento da água da chuva. Esta foi realizada através de visitas feitas nas comunidades, se concluindo que há viabilidade nesta questão, sendo que a água pode ser utilizada para a horta, lavagem de calçadas, entre outros. “A partir de pequenas atitudes se pode perceber quanta água pode ser economizada”, destaca Rosemere.

“A apresentação das pesquisas, as saídas da sala de aula e as visitas na comunidade são importantes para os alunos, pois eles passam a valorizar o lugar onde moram, se aprofundando em diversos assuntos ampliando assim seus horizontes e ainda conhecem a realidade de onde vivem”, explica Marlise.

A diretora da escola, Traudi, afirma que, além das pesquisas científicas realizadas na comunidade de Forqueta, o Verde é Vida também tem ações como o Bolsa de Sementes que consiste na coleta de sementes de árvores nativas, que são encaminhadas para a UFSM, selecionadas, transformadas em mudas e após distribuídas. “Um exemplo disto ocorreu no Camping do Ereneu, onde foram plantadas 800 mudas. Um exemplo de reflorestamento. Também temos o projeto de coleta de óleo, que no ano passado coletou 220 litros de óleo de cozinha usado que foram transformados em biodiesel. A coleta acontece a cada três meses”, relata. Além desses, há o Grupo Ambiental, que recebeu um troféu de condecoração no evento realizado em Cruzeiro do Sul. É um grupo que vem à escola fora do horário de aula para auxiliar na manutenção da escola, desenvolvendo um relatório socioambiental de cada ação.

Caminhos da Forqueta

O projeto Caminhos da Forqueta conta com o apoio de 18 empreendedores que estão se aperfeiçoando com um curso de turismólogo do Senar. Este possui 240 horas/aula e nesta semana o grupo estudou o 3º módulo Acolhida no meio rural. Ao total serão 10 módulos estudados. Além disso, estes empreendedores participam de oficinas de turismo e promovem eventos, como o Café Colonial, que terá sua próxima edição no dia 06 de julho.

Por daiane