Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 26 de Agosto de 2019

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Reunião apura a realidade do campo arroio-meense

, 7 de abril de 2012 às 6h45

Encontro que estabelece o diagnóstico rural de Arroio do Meio é o primeiro passo para a criação de um Pré-Território no Vale do Taquari, formado com o objetivo de facilitar a distribuição de recursos estaduais e federais

Mais de 30 agricultores, autoridades e integrantes da Emater se reuniram na tarde de terça-feira, para definir o diagnóstico rural arroio-meense. O trabalho é o primeiro passo para a criação de um Pré-Território no Vale do Taquari, formado com o intuito de facilitar a distribuição de verbas entre os municípios. “O governo irá repassar os recursos diretamente para o Pré-Território, que dividirá entre os municípios,” explica o vice-presidente do STR de Arroio do Meio, Áurio Scherer.

A próxima reunião referente à criação do Pré-Território será realizada no dia 2 de maio em Cruzeiro do Sul, envolvendo os nove municípios da 3ª microrregião – Arroio do Meio Capitão, Travesseiro, Cruzeiro do Sul, Lajeado, Sério, Forquetinha, Santa Clara do Sul e Canudos do Vale.

Diagnóstico do meio rural arroio-meense

Os participantes foram convidados a falar das fortalezas, fraquezas, oportunidades e ameaças do meio rural arroio-meense em diferentes aspectos.

Na economia, o grupo presente destacou como positiva a localização privilegiada das propriedades rurais arroio-meenses, não tão retiradas e perto dos asfaltos. Também viram como oportunidade os recursos repassados para a agricultura familiar com juros baixos, a mecanização do campo e a facilidade de obter novos conhecimentos. Como questões que precisam ser melhoradas na área econômica, o grupo citou o aumento da urbanização, o valor das terras muito alto e a falta de assistência técnica e mão de obra.

Como benefício ambiental, os agricultores percebem que Arroio do Meio tem terras férteis e mata vasta. Acreditam que a população rural preserva e tem consciência ambiental. Porém, veem como ameaça as ações dos ambientalistas e do Ministério Público e reclamam que apenas os agricultores são responsabilizados pelos problemas no meio ambiente. “Ocorre muita cobrança no meio rural, diferente do que se vê na cidade,” argumentam.

O envelhecimento da população do campo e êxodo rural são os principais problemas apontados pelos agricultores na área social. Em contraste, destacam que há bons eventos, lazer e educação no campo. No aspecto político, os agricultores percebem o enfraquecimento da categoria devido à pouca representatividade dos colonos na política. Acreditam que a solução para o problema é votar em candidatos que tenham vínculos e afinidades com o meio rural.

Grupo de cerca de 30 pessoas definiu as fortalezas, fraquezas, ameaças e oportunidades do meio rural arroio-meense

Por daiane