Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 27 de Novembro de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Geral

Uma aventura sobre duas rodas

, 20 de março de 2012 às 14h28

Todo motociclista sonha em algum dia fazer uma grande viagem, conhecer lugares, culturas e novas aventuras. Com os parceiros de estrada Felipe Trasel e Gilmar Sbruzzi não foi diferente. A ideia de empreender uma grande viagem surgiu em meados de 2008 num dos muitos churrascos que sempre eram feitos aos sábados. Ambos gostam muito de andar de moto e tinham o desejo de fazer alguma aventura por lugares diferentes. Depois de debater muito para onde poderiam ir, decidiram ir até Santiago, no Chile.

Após decidir o destino, começou a fase de preparação das rotas onde passariam. “Foram meses e meses desenvolvendo o plano de viagem, vasculhando na internet, conversando com pessoas que já haviam feito o trajeto. No final de 2008 tínhamos o roteiro pronto, andaríamos mais de cinco mil quilômetros, em 11 a 12 dias de viagem”, contam os aventureiros.

A saída estava programada para o dia 07/03/2009. “Na semana que antecedia a partida foi difícil dormir. Cada dia demorava uma década, a ansiedade estava enorme. Enfim chegou o dia, nos despedimos das famílias e saímos cedo, a alegria estava estampada no rosto de cada um. A tão esperada aventura estava iniciando”, afirma Felipe. A dupla andava, em média, de 600 a 700 quilômetros por dia, em uma Twister (Felipe) e uma Falcon (Gilmar). “A cada lugar que passávamos, os olhos enchiam-se de paisagens indescritíveis. Uma das coisas que mais nos chamou a atenção foi a cordialidade, principalmente do povo argentino, inclusive a polícia, que nos tratou muito bem. Em todos os lugares que passávamos éramos bem recebidos”, conta Gilmar.

Segundo os rapazes, a travessia dos Andes pelo Paso Los Libertadores foi a parte mais emocionante da viagem, com paisagens incríveis, montanhas nevadas, cordilheiras das mais variadas cores e alturas. A descida de Los Caracoles, que estão a 2855 metros acima do nível do mar, é outro ponto que destacam, são 670 metros de desnível desde o Túnel Del Cristo Redentor num percurso sinuoso movimentado, repleto de curvas enormes e pouco sinalizado. Outra considerável obra na qual a ousadia humana controla a geografia. “A cidade de Santiago é muito tranquila, trânsito bem organizado e com várias opções de turismo, fizemos um tour a pé pela cidade, caminhamos um dia inteiro e passamos por praticamente todos os pontos turísticos da cidade. Conhecemos, inclusive, um mineiro que se mudou com toda a família para trabalhar por lá, acabamos jantando no restaurante em que trabalhava”, relatam.

Também conheceram Viña Del Mar e Valparaíso. Infelizmente era um dia totalmente nublado e os motociclistas não puderam ter uma visão boa da cidade, mas dizem que se trata também de um ponto turístico muito interessante. Na volta conheceram o Monte Aconcágua, que tem quase sete mil metros de altitude, a Puente Del Inca, que é uma formação rochosa natural, feita pelo próprio rio. Outro ponto incrível é o poder que o rio tem para petrificar qualquer tipo de objeto, devido aos tipos de minerais que a água possui.

Após 11 dias de viagem, 5,5 mil quilômetros andados por três países, a viagem teve seu fim. Contudo, muitas coisas ficaram na lembrança: as amizades feitas na Argentina, no Chile, dois países que têm uma admiração enorme pelos brasileiros e cujos habitantes foram muito hospitaleiros e tentavam ajudar no que fosse preciso. “Além disso, as culturas novas que conhecemos e os lugares são incríveis”.

Para os que pensam em empreender uma viagem desse tipo, Felipe e Gilmar dizem que basta somente ter vontade e convicção de que é possível, seja de bicicleta, moto ou carro. O importante é ter o espírito aventureiro e acreditar que se pode chegar lá. Após essa primeira aventura o desejo de viajar ficou maior e novamente a dupla vai se aventurar. Em abril de 2012 rumam até Machu Picchu, a cidade perdida dos incas, passando pelo Deserto de Atacama, Nazca, Lago Titicaca, Cusco e vários outros lugares por cinco países, em uma viagem de mais de 10 mil quilômetros.

Os leitores do AT poderão acompanhar detalhes diários dessa aventura pelo site www.oaltotaquari.com.br. Mais detalhes nas próximas edições.

Por daiane