Jornal O Alto Taquari  .  Arroio do Meio, 07 de Junho de 2020

O Alto Taquari

Jornal da Semana
Agricultura

Agricultores acumulam prejuízo de R$ 5,3 milhões

, 6 de janeiro de 2012 às 13h47

O levantamento feito pela Emater de Arroio do Meio aponta um prejuízo de R$ 5,3 milhões com a estiagem. O quadro demonstrativo das perdas foi aprovado pelo Conselho Arroio-meense de Desenvolvimento Rural (Conar) nesta semana, em parceria com a secretaria da Agricultura. As perdas são de até 70% no milho, 30% no leite, 40% no soja, 30% na piscicultura, 90% na pastagem e 60% nos pomares. Até quarta-feira, a Emater havia recebido 28 encaminhamentos de seguro.

A cultura do milho teve problemas de atraso na implantação das lavouras devido às chuvas de agosto e início de setembro. Este atraso levou praticamente todas as lavouras a serem afetadas pela estiagem que iniciou em 25 de outubro. A produtividade média calculada para a safra 2011/2012 é de 1.620 quilos por hectare. O plantio de novembro, segundo a Emater, não ocorreu pela ausência da umidade adequada do solo, levando a uma perda no cultivo de 300 hectares.

Dados confirmam que a maioria dos produtores que financiaram a safra de milho foram movidos por uma expectativa de produtividade entre 4,8 mil e 6 mil quilos por hectare. Sobre uma perspectiva média de 5,4 mil quilos por hectare, houve uma redução na produção de milho de até 70%.

Em decorrência da falta de umidade, também as pastagens perenes foram afetadas, provocando um decréscimo na produção de leite. O prejuízo estimado é de redução de até 30% na produção de leite, o que corresponde a uma perda diária de 19,2 mil litros ou cerca de R$13 mil por dia. Segundo Elias de Marco, técnico agropecuário, as perdas só não são maiores porque a maioria das propriedades ainda trabalha com estoque de alimento. A previsão é de queda nos meses subsequentes, em vista da escassez de alimentos.

A Emater periciou até quarta-feira 18 lavouras de milho que contrataram o custeio agrícola. A indenização do Proagro Mais pode cobrir até 100% do financiamento e 65% da renda estimada, limitada a R$ 3,5 mil por produtor. O banco cobra apenas o valor residual da lavoura, isto é, o que a lavoura conseguiu produzir, conforme estimativa do técnico perito, esclarece o coordenador regional de políticas públicas da Emater, Paulo Conrad. A lavoura é considerada de perda total quando sua produção estimada fica inferior a 10 sacos por hectare. A Emater de Arroio do Meio continua dando uma atenção especial às vistorias de lavouras definidas a pedido dos bancos.

Por daiane

O agricultor Erlon Ruppenthal, 37 anos morador de Forqueta, financiou R$ 5 mil para investimento numa lavoura de 2,5 hectares de milho. A perícia feita pelo técnico agropecuário, Elias de Marco, definiu uma produção inferior a 10 sacos por hectare ou perda total_Telmo Schmitz